Em reunião com moradores da Vila Bom Jesus, Vale afirma que barragem em Canaã não apresenta riscos

Depois de garantir que barragem em Brumadinho estava segura, mineradora diz que barragem do projeto Sossego em Canaã não apresenta riscos. Moradores desconfiam das informações da mineradora, têm medo e querem respostas

Após a tragédia ocorrida em Brumadinho, Minas Gerais, a mineradora Vale já não goza do prestígio de outros tempos e suas explicações sobre a segurança em projetos minerais não convencem tanto. Em Canaã, moradores da Vila Bom Jesus estão apavorados com o fato ocorrido em Minas e temem que o pior possa acontecer também por lá, visto que a barragem do projeto Sossego fica próximo à localidade.

Em reunião com os moradores da comunidade na noite desta quarta-feira (6), a Vale voltou a afirmar que não há a necessidade de retirar as pessoas de suas casas na vila, pois o risco de haver um rompimento na barragem é quase zero. Além dos moradores, o presidente da Câmara Municipal, Wilson Leite, e os vereadores Gesiel Ribeiro, Maria Pereira, Vânia Mascarenhas e Walter Diniz também participaram da reunião.

A desconfiança em relação às palavras da Vale aumentaram ainda mais após a declaração de um dos engenheiros que prestava serviço para a mineradora. Makoto Namba afirmou ter sido pressionado pela cúpula da Vale para assinar o atestado de segurança da barragem que se rompeu. Segundo o engenheiro, a mineradora ameaçou contratar outra empresa para dar o laudo de segurança, caso a segurança na represa de Brumadinho não fosse atestada.

Até o momento, a Vale não se manifestou sobre a afirmação do profissional

As perguntas dos moradores são inevitáveis: estaria a Vale pressionando empresas de engenharia para dar laudos de segurança em outras barragens pelo Brasil, inclusive em Canaã? Quanto tempo levará para uma nova tragédia acontecer? Se a Vale mentiu antes, quem garante que não está mentindo agora?

Uma nova reunião, desta vez na Câmara Municipal, está agendada para a próxima sexta-feira (15).

Post Author: Israel Morais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *