Bolsonaro: ‘Violência no Brasil já passou da linha do absurdo

POLÍTICA

 

Foto: Tânia Rêgo/Arquivo/Agência Brasil

 

Jair Bolsonaro, candidato à Presidência da República pelo PSL, usou as redes sociais para falar sobre o combate à violência no Brasil. Segundo ele, é necessário que todas as instituições trabalhem em prol das demandas mais urgentes da sociedade e que a violência é, sem sombra de dúvidas, uma dessas. “A violência no Brasil já ultrapassou a linha do absurdo. Com a Presidência, o Congresso e demais órgãos públicos atendendo a esse anseio da população, teríamos mais êxito e todos ganhariam.”

O postagem feita no Twitter também criticou a atual disposição da lei. “Quanto mais recuamos, mais os criminosos avançam e eles sabem disso. Leis, normas e diretrizes colocam cada dia o cidadão mais vulnerável a quem quer praticar um crime.”

Nesta segunda-feira (22), o líder das pesquisas recebeu o jurista, advogado e professor Ives Gandra da Silva Martins. O encontro ocorre às vésperas do segundo turno, no momento em que há uma tensa discussão em torno do comentário do deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), filho do candidato, sobre o fechamento do Supremo Tribunal Federal (STF).

Ontem (21), ao comentar a hipótese, Bolsonaro foi categórico em sua afirmação. “Se alguém falou em fechar o STF, precisa consultar psiquiatra.” Apesar da negativa, a polêmica permanece. A expectativa é que o presidente do Supremo, Dias Tóffoli, manifeste-se em nome dos 11 ministros da instituição.

Confiança

Nas primeiras horas da manhã, Bolsonaro mostrou confiança em relação à vitória no próximo domingo (28). Nas redes sociais, ele aproveitou para criticar, de forma indireta, os partidos que usam vermelho como cor oficial. “Estamos iniciando a última semana a caminho de, se Deus quiser, nossa nova Independência! Vamos tirar o Brasil do vermelho e devolvê-lo aos brasileiros.”

(Com informações da Agência Brasil)

Ajude a manter o Site no Ar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *