Em Canaã, juiz de futebol é agredido verbalmente com injúrias raciais


Crime aconteceu durante a segunda rodada do Campeonato Rural de Canaã




Aos 14 minutos do primeiro tempo de uma partida do Campeonato Rural 2018, um lance duvidoso em campo. VS-47 e VP-20 se enfrentavam pela segunda rodada da fase de grupos do Ruralzão, quando o árbitro Eduardo Viana da Silva interpretou que a bola havia batido na mão de um jogador da VP-20, sem nenhuma intensão. À beira do campo, um torcedor completamente desequilibrado pediu a falta, mas o jogo seguiu.

Ao perceber que o juiz não marcaria o que ele queria, os gritos do torcedor começaram: “Macaco! Nego-urubu! Nego-safado!” Sem acreditar no que estava ouvindo, Eduardo parou o jogo e suspendeu o jogo. “Ele tentou me atingir com essas palavras. Ele não parou de falar e ainda ameaçou dar tiros em nós. Foi por isso que suspendi a partida. Só depois que o técnico da VS-47 foi até o torcedor, que era deles, entrou em acordo com ele e eu analisei o momento é que deixei o jogo continuar.”



Foi assim que o jovem árbitro viveu um dos piores momentos de sua vida. Apitando jogos no município há um ano, Eduardo é conhecido por todos como Guru. O árbitro ganhou notoriedade nos jogos promovidos pela FUNCEL e pela Liga Esportiva de Canaã. Bem preparado fisicamente e com uma boa técnica para apitar jogos, o juiz tem o respeito dos colegas e de quem o assiste. No entanto, o torcedor do jogo realizado no sábado (24) desrespeitou o profissional do apito e, principalmente, o ser humano.

“O sentimento é muito ruim. Isso é racismo, cara. Não é porque sou preto que devo ser chamado de macaco, essas coisas mais e ser ameaçado de morte. Tem que haver respeito. Isso é um grande absurdo” desabafou em entrevista. Eduardo avisou que prestará queixa contra o torcedor e disse esperar que a justiça seja feita o mais breve possível.

Guru recebeu total apoio do presidente da Liga Esportiva, Leandro Oliveira: “Eu, como presidente da Liga e atleta, fico muito triste por essa situação. O Guru tem nosso total apoio em todos os momentos. Até disse que se ele quisesse ir até a Delegacia no mesmo momento em que as ofensas aconteceram, eu o apoiaria. Como organizador do campeonato, fiquei muito constrangido com toda essa situação. Espero que esse rapaz que teve essa atitude infeliz venha a público e peça desculpas. As pessoas precisam ver mais o lado humano dos árbitros.”

Até o fechamento desta matéria, o torcedor que teve a atitude criminosa não havia se manifestado sobre o caso.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.