ROUBO DE COMBUSTÍVEIS NOS TRENS DA VALE GERA UM PREJUÍZO MENSAL DE 10 MILHÕES DE REAIS A EMPRESA



Em áreas de difícil acesso para a polícia, bandidos atacam os trens da empresa Vale no Maranhão

 Uma força tarefa será montada, pela Polícia Civil do Maranhão para desarticular quadrilhas especializadas em roubo de combustível da empresa Vale no Maranhão, para conter a onda de ataques diários aos trens que geralmente acontecem nos trechos entre as cidades de Bacabeira a Itapecuru-Mirim, Vitória do Mearim a Santa Inês.                       

A operação é feita nessas áreas por bandidos que colocam entre os trilhos, fios que cortam o circuito momento em que a central é acionada para corrigir o problema e manda parar o trem. É nessa hora que os bandidos atacam, colocando as vidas dos maquinistas, técnicos dentre outros funcionários da empresa em risco

Outra técnica usada pelos ladrões é o desacoplamento dos mangotes. Com a paralisação do trem, eles aproveitam para roubar combustível dos cargueiros, que chegam  a medir um quilômetro de comprimento, o que facilita a ação dos bandidos, que chegam a roubar dez mil litros de gasolina por dia em cada ação.

Na linha de investigação policial há suspeitas que empresários, políticos, donos de postos de comburíveis, funcionários da Vale e políticos, seriam os grandes articuladores dessa ação criminosa com suspeitas inclusive da participação de membros da direção da empresa no Maranhão que estariam dando suporte a essas quadrilhas que atuam no roubo de combustíveis nos trens da  Vale.

O prejuízo mensal da empresa chega a casa dos dez milhões de reais só em roubo de combustível, fora os cabos elétricos que são roubados para venda de cobre. Os vigilantes da empresa Prossegur pouco pode fazer diante das ações dos bandidos e um dos principais problemas que essa grande empresa de segurança enfrenta diante dessa prática criminosa é o impedimento que exite dos vigilantes não poder usar armas letais contra os bandidos nesses trechos citados acima, onde os criminosos atacam.

                       
      Com roubo de combustíveis, a Vale tem um prejuízo mensal de 10 milhões                    de reais.

Isso prova a fraqueza dessa legislação que está em vigor em nosso páis, que não dá condições aos bravos vigilantes a usarem armas de grosso calibre para proteger o patrimônio das grandes empresas e seus funcionários.

Sabendo disso as quadrilhas agem diariamente sem temer um enfrentamento com os vigilantes, que em cumprimento as leis ficam de mão e pés atados sem poder agir diante das ações criminosas das quadrilhas que atacam e roubam constituíveis dos trens da Vale no Maranhão.

Por conta disso a Polícia Civil do Maranhão através da SEIC, SPCI e delegacias regionais, irão realizar uma operação com planejamento estratégico para desarticular e prender essas quadrilhas que vem atuando há um bom tempo na área de trabalho da empresa Vale no Maranhão.

Para que essa operação seja realizada com sucesso, a empresa Vale tem que ajudar a polícia Civil do Maranhão e uma das primeira medidas que deve ser tomada pela direção Geral da empresa, é fazer um minucioso trabalho de investigação na própria empresa para descobrir quem são os chefões da Vale no Maranhão questão supostamente envolvidos com essa organização criminosa.

Fonte : blog SJNOTICIAS MA
Tecnologia do Blogger.